sexta-feira, 24 de junho de 2011

Clube das Virtudes


Fundado em nove de Agosto de 1948, o Clube das Virtudes acaba de ser reconhecido mundialmente pelos serviços prestados à humanidade. Entretanto, apesar de sua fama internacional, continua mantendo o status de grupo mais seleto que se tem noticia.

Motivadas pelo fim da Segunda Guerra Mundial e orientadas pela Declaração Universal do Direitos  Humanos, cinco senhoras distintas, que nutriam uma relação de admiração e respeito mútuos, apesar da pouca convivência pessoal, passaram a se reunir com certa frequência para discutir questões relativas a bem estar comum, cidadania e garantia de direitos, além de coordenarem ações que promovessem a idéia de um mundo melhor, mais justo, menos desigual.

Os nomes das distintas senhoras não serão revelados por um motivo simples. Consta no estatuto do Clube das Virtudes, parágrafo dois que:

Os membros serão conhecidos e tratados pelo nome de suas virtudes, ficando assim estabelecido que o tratamento pelo nome próprio somente será permitido em situações particulares que não envolvam o nome da entidade.

Portanto, assinaram a primeira ata Sra. Esperança, Sra. Liberdade, Sra. Justiça, Sra. Verdade e Sra. Ética.

Havia um rígido critério para a escolha dos nomes dos membros, sendo a observação mútua e constante dos desígnios de cada virtude o principal de todos. Somente após inúmeros relatórios, debates e consenso absoluto, os nomes eram conferidos.

As intervenções na sociedade repercutiam de forma a atrair muitos candidatos a membros, em sua maioria oportunistas que desejavam apenas um retoque em suas reputações desgastadas. Porém, a necessidade de ampliar os efeitos das ações promovidas, a ponto de universalizá-los, fez com que novos membros fossem recrutados, sendo submetidos a rigoroso escrutínio moral, para então receber um título provisório de Membro colaborador, ou como eram informalmente tratados por Os Humildes.

Membros importantes foram reconhecidos como a Sra. Honestidade, Sra. Paciência, a Sra. Generosidade e a Sra. Confiança. O primeiro representante masculino a receber o status de membro permanente foi o Sr. Respeito, casado com a Sra. Dignidade, pais da mais jovem representante, mas não menos importante, Sra. Democracia.

Obviamente, o Clube das Virtudes, por mais que ostentasse uma criteriosa constituição, sofreu inúmeras tentativas de sabotagem, algumas com efeitos desastrosos, como no caso da Sra. Burocracia. Com grande poder de persuasão, seus projetos eram propostos com o claro intuito de tornar mais difícil a execução. Com o respaldo da Sra. Auditoria, chegaram a praticamente imobilizar o clube, mesmo nas tarefas mais simples. Por sugestão da Sra. Generosidade, com o apoio da Sra. Coerência, foram relegadas às atividades menos estratégicas.

Com tantos anos de atuação e inúmeras contribuições para o mundo atual, O Clube da Virtude ainda é visto como uma entidade hermética e elitista, sobretudo por aqueles que foram Humildes, mas não o suficiente para obter a credencial definitiva e também pelos incautos, atraídos pelo cheiro mofado de papel gasto.

Se você estiver interessado em se tornar um membro do Clube da Virtude é necessário aguardar que que sua necessidade de atendimento venha de encontro aos projetos em execução, para então de acordo com sua atitude ao receber o benefício, merecer uma indicação de um dos membros definitivos.

Importante lembrar que necessidades individuais só serão consideradas em casos muito especiais. Portanto, para que o atendimento seja feito, é fundamental organizar-se coletivamente e apresentar um requerimento à Sra. Coerência, que analisará os casos de acordo com sua urgência.

   Mais informações acesse www.clubedavirtude.org