quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Silêncio, por favor



Enxaqueca, noite chata
Choro, uma enxurrada
A dor uma cachaça, uma chama, uma chibata
Talvez uma enxada
A chave da charada?
Uma caixa de chocolates e uma xícara de chá
que no chão já se encontra gelada
No colchão que logo chego
Uma chance de aconchego
para uma cabeça inchada